O termo fibromialgia refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono.
Os itens mais importantes na alimentação dos pacientes que sofrem de dor crônica é o triptofano, aminoácido responsável pela síntese de serotonina. O nutriente é encontrado em alimentos como carnes magras (peito de peru e peito de frango), leite desnatado e banana.
Outra substância essencial é o carboidrato, encontrado em massas, pães, batata, milho, mandioca, cereais, frutas, mel e doces. Porém, é preciso ressaltar que o açúcar provoca uma sensação imediata de energia, mas depois leva à sensação defadiga e moleza. Logo a ingestão dos chamados carboidratos complexos, presentes em pães integrais e massas, são os mais indicados.
As proteínas, ferro, cálcio, magnésio e vitaminas do complexo B completam a dieta adequada para o problema.Uma baixa ingestão de proteínas faz com que nosso corpo utilize nossas reservas musculares para adquirir os aminoácidos necessários para os processos metabólicos, deixando os músculos ainda mais sensíveis.
Alguns alimentos considerados com alto poder de alergenicidade como ovos, nozes, produtos lácteos e carne vermelha devem ser evitados pelos pacientes que sofrem de fibromialgia. Outras substâncias que merecem cuidados são aquelas com alta concentração de açúcar, como: chocolates, bebidas alcoólicas e cafeína (chá preto e chá mate). Estes alimentos podem aumentar a fadiga, dor muscular e interferir nos padrões normais do sono.
Por conta do uso prolongado de medicamentos analgésicos, utilizados a fim de aliviar as dores, recomenda-se que estas pessoas aumentem a ingestão alimentos fonte de ácido ascórbico (vitamina C) e potássio.Também importante, são os alimentos fonte de cálcio e magnésio,já que estes atuam melhorando a contração muscular e transmissão de impulsos nervosos.

Flávia Palombini (Nutrição e Beleza)