quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Diga não à automedicação

E mesmo quando se trata de fins estéticos, você só tem a perder com isso

automedicacao Diga não à automedicação
Foto: Thinkstock
Você também é do time que tem uma pomadinha ou um remédio milagroso pra qualquer problema de pele, de falta de hidratação a espinhas? E usa o remédio mesmo sem consentimento do seu dermatologista – e pior ainda: recomenda a todos os seus conhecidos? Time errado, esse, cara leitora. Esta coluna vai fazer você mudar de ideia rapidinho.

Nunca mesmo!

Uma vez que cada organismo é diferente e tem suas particularidades, não é nada legal usar o mesmo remédio (seja ele de uso tópico ou via oral). Apesar de algumas doenças de pele terem características parecidas, o que foi ótimo pra alguém pode lhe causar alergia, irritação ou não fazer efeito algum.

Sem contar que você pode até não melhorar o problema se automedicando e sim piorar, aí, quando decidir consultar o médico acaba tendo que enfrentar um tratamento mais prolongado e caro também.
A princípio, você pode não sentir nenhum efeito ruim da automedicação, mas alergias podem surgir a longo prazo. E aí você, além de não resolver o primeiro problema, terá que tratar um segundo.

O perigo de alguns medicamentos

Laxantes, colírios e cremes em geral são os mais comuns de se ter em casa sem prescrição médica. Além de não solucionar seu problema, eles podem mascarar doenças bem mais graves. Veja a seguir:
Pomadas, cremes e esfoliantes: o fato de a maioria ser vendido na farmácia sem prescrição não significa que faça bem. O uso indiscriminado pode ocultar doenças, como câncer de pele, além de provocar dermatite de contato, ou pode não ter efeito algum.
Cremes pra fins estéticos (como anticelulite, flacidez e gordura localizada) comprados em mercados ou farmácias mesmo costumam ter pouca concentração de substâncias que ajudam na perda de medidas. Se usá-los sozinho, você está se enganando, pois é preciso dieta, exercícios e um creme com prescrição (manipulado em muitas vezes). Cremes e esfoliantes para o rosto merecem mais cuidado ainda, já que a pele é mais sensível.

Colírio: se você não possui prescrição médica, água limpa é a única substância que pode passar nos olhos. Os colírios têm princípios ativos variados, como corticóides e antibióticos, podem mascarar ou exacerbar doenças. Quando se tem problemas, como glaucoma, corre-se o risco de agravá-los.
Laxante: uma vez ou outra, bem raramente, você até pode optar por eles. Agora, se consumidos sempre e indiscriminadamente, isso pode levar a alterações intestinais. E até causar problemas mais sérios, como a perfuração do intestino. Nos idosos, pode provocar desidratação e alterações metabólicas, colocando a vida em risco.
Pessoas com tumor intestinal, em geral não diagnosticado, podem agravar a doença. O ideal é procurar um médico e acertar a alimentação e a ingestão de água. E nem pense em usá-los para emagrecer, ok? Perder peso só funciona quando você faz dieta (monitorada por um nutricionista) e pratica esportes com regularidade.
Suplementos alimentares: os queridinhos de quem malha e quer logo ganhar massa podem ter efeitos tóxicos ou não fazer nada. Estudos ainda relacionam os suplementos com o desenvolvimento de arritmias cardíacas e com morte súbita. Ou seja: só tome com o consentimento do seu médico.
Não deixe que a falta de tempo ou a preguiça de ir ao médico façam de você uma vítima da automedicação. As consequências podem ser mais graves do que você imagina ou você ainda corre o risco de tomar (ou passar) remédio à toa. Não vale brincar de médico no dia a dia, ok?

Por (Dicas de Mulher)

Nenhum comentário: