quarta-feira, 24 de outubro de 2012

7 fatos sobre a vagina que toda mulher deveria saber

Entender corretamente o funcionamento desse órgão te ajuda a cuidar melhor da sua intimidade

7 fatos sobre a vagina que toda mulher deveria saber 7 fatos sobre a vagina que toda mulher deveria saber
Foto: Thinkstock
Nada mais normal hoje em dia que mulheres desnudas, certo? Em revistas, filmes, fotografias, na praia e mesmo na televisão, a nudez feminina tornou-se absolutamente natural. Mesmo assim, homens (e mulheres) continuam tratando o assunto “vagina” como um tabu.
As informações disponíveis na internet muitas vezes são desencontradas e só fazem aumentar a polêmica. Visando esclarecer dúvidas sobre o órgão, destacamos sete fatos sobre a vagina que todo mundo precisa saber.

1 – A “vagina” é só um pedaço do órgão sexual feminino

O que chamamos vagina é, na verdade, apenas uma parte do órgão sexual feminino, que é composto por outras partes de igual importância. A parte externa do órgão, por exemplo, é chamada vulva. Ela inclui os lábios internos e externos, além do clitóris e da abertura para a vagina, em si, que é a parte interna do órgão, juntamente com o útero, ovários e trompas.

2 – Existem exercícios para a vagina

Os chamados “exercícios de Kegel”, conhecidos por ajudarem mulheres a atingirem o orgasmo, trabalham os músculos da vagina e podem ser feitos por qualquer mulher, em qualquer lugar. Na verdade, os exercícios são eficazes também para fortalecer os músculos do assoalho pélvico, o que pode ser útil para quem sofre de incontinência urinária ou gases, por exemplo.

3 – Probióticos ajudam a afastar infecções

“Probióticos” são organismos vivos que têm efeito benéfico sobre o equilíbrio bacteriano. Há evidências, por exemplo, de que eles ajudam a combater a diarreia e auxiliam na digestão.
No entanto, ainda é preciso que haja mais provas científicas para que os probióticos sejam considerados completamente eficazes no combate às infecções vaginais, mas alguns profissionais já os recomendam como tratamento auxiliar nesses casos.

4 – Corrimento nem sempre é normal

O corrimento é normal, porque a vagina é um órgão com função de autolimpeza. Mesmo assim, se você sentir dor, irritação, coceira, odores anormais ou perceber que ele está vindo em quantidade exagerada, convém procurar um médico. Pode ser apenas uma infecção simples, mas a opinião de um profissional é sempre importante para afastar a possibilidade de doenças mais sérias.

5 – Sexo é bom para a saúde da vagina

Os estrogênios são hormônios que ajudam a manter a vagina lubrificada e saudável. Quando seus níveis caem, ela pode se tornar seca e a mulher pode mesmo sofrer com dores. O sexo ajuda a manter esses níveis regulados, principalmente em mulheres que já passaram pela menopausa.
Para aquelas que sentem muita dor ou desconforto, vale a pena investir em lubrificantes sintéticos ou em tratamentos à base de hormônios, sempre com acompanhamento médico.

6 – Existem bactérias do bem

O que conhecemos por “lactobacilos” são bactérias que ajudam, inclusive, a manter os níveis de acidez da vagina equilibrados. Algumas vezes, este equilíbrio entre bactérias “do bem” e “do mal” é quebrado e a mulher pode sofrer com corrimentos que têm como característica o forte odor ou mesmo uma sensação de queimação.
Para ajudar na prevenção, use sabonetes especiais para a área e evite duchas íntimas.

7 – O clitóris, essa maravilha

Por que o clitóris é tão poderoso? Porque ele possui oito mil terminações nervosas destinadas exclusivamente ao prazer sexual. O pênis, segundo especialistas, possui apenas a metade disso.
Além disso, pesquisas indicam que ele se estende para o interior da vagina com um comprimento de quase três polegadas, conectando-se ao polêmico “ponto G”. Embora a parte visível dele seja pequena, o clitóris inteiro tem cerca de quatro polegadas.

Por Carolina Werneck( Dicas de Mulher)

Nenhum comentário: