quinta-feira, 12 de julho de 2012

Quinta pessoa pode ser indiciada por assassinato de criança em Brejo da Madre de Deus

Um dos quatro suspeitos contou que o assassinato da criança foi encomendado para possibilitar o ritual de retorno realizado pelo grupo

 Uma quinta pessoa envolvida no assassinato do menino Flânio da Silva Macedo, de nove anos, está sendo procurada pela polícia e pode ser indiciada como mandante do crime. Quatro suspeitos já foram presos:  Ednaldo Justo dos Santos, o Pai Nau, de 33 anos; Edilson da Costa, conhecido como pai Deni, de 31 e Genival Rafael Costa, o Pai Veio, de 63 anos; além da  companheira dele Mara Edileuza Silva, de 51 anos.

De acordo com o delegado Antônio Dutra, da Delegacia de Santa Cruz do Capibaribe, responsável pelo caso, os homens, todos "pais de santo", negam participação no crime, mas a mulher, apesar de dizer que não participou diretamente do assassinato, descreveu a ação com detalhes. O menino teria sido morto em um ritual chamado de “ritual de retorno” que teria sido encomendado por uma quinta pessoa. A mulher acrescentou que a criança foi escolhida aleatoriamente. No entanto, um dos suspeitos, o pai Nau, alegou ter um parentesco com a vítima, informação que ainda não foi confirmada pela família.

Ainda segundo o delegado, todos serão indiciados por homicídio triplamente qualificado,  ocultação de cadáver, crime hediondo e formação de quadrilha. O casal foi detido no final da manhã de ontem e os outros dois suspeitos foram presos no final da tarde, todos nas proximidades da cidade de São Domingos.

Os suspeitos estão sob custódia da polícia em local não revelado. A precaução está sendo tomada para evitar que os quatro sejam linchados, como ameaça a comunidade. Revoltados, moradores invadiram ontem a residência de Genival e Mara.

As prisões preventivas já foram solicitadas à justiça e os suspeitos podem ser apresentados na tarde de hoje para então serem encaminhados para as unidades prisionais.

Crime - Flânio da Silva Macedo, de nove anos, foi encontrado morto na tarde da terça-feira passada na Zona Rural de São Domingos, distrito do Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco. O corpo da criança, que estava desaparecida desde o dia 1º de julho, estava em avançado estado de decomposição, com mãos e pés amarrados, cabeça decapitada e indício de estupro.

A criança tinha as nádegas expostas para cima, a cabeça a cerca de um metro de distância do corpo e lesões que podem ter sido feitas por animais ou agressão humana. No local foram encontrados vários apetrechos utilizados em despachos, bonecos de vodu, velas, ossos e garrafas de bebida alcoolica.
 (Diário de Pernambuco)

Nenhum comentário: