sexta-feira, 27 de julho de 2012

DINCA, MARCÍLIO PIRES, TADEU SAMPAIO, NETA E DIOMÉSIO TEM REGISTROS NEGADOS PELA JUSTIÇA ELEITORAL

  Os candidatos à Prefeitura de Tabira, Dinca Brandino (PSB) e Marcílio Pires (PDT), além do candidato a vereador Tadeu Sampaio  estão entre os que tiveram  confirmadas as impugnações de suas candidaturas pela Justiça Eleitoral. A decisão - ainda não publicada oficialmente -  foi do Juíz José Carvalho de Aragão Neto,  acatando ação do Ministério Público e foi tomada esta tarde. Pela decisão, os não tem registradas suas candidatura e não poderão disputar, salvo se a decisão for reformada pelo TRE. 
Dinca Brandino inclui a lista de nomes com contas rejeitadas pelo TCE, respaldada em votação da Câmara de Vereadores. Ele é candidato à reeleição. Seu advogado, Edilson Xavier, havia dito que não havia dano insanável e mostrava confiança no registro.
Já Marcílio Pires, aparentemente tem situação mais fácil de ser revertida, segundo sua Assessoria. Em contato com o blog, informaram que a negativa de registro sedeu porque a Coligação Renova Tabira não atendeu o número mínimo de candidatas mulheres, o que será resolvido em até 72 horas, garantem.  
Tadeu Sampaio foi demitido como servidor após inquérito administrativo, por ocupar ilegalmente vaga como servidor público, cuja nomeação teria sido fraudulenta. Demissão do serviço público também é requisito para integrar lista de inelegibilidade.
Em Solidão, as duas Coligações tiveram registros negados. A candidata a prefeita Jacinete Vieira de Melo, Neta,  está na lista de políticos com contas rejeitadas pelo TCE e ainda responde a ação penal por fraude em licitação. 
O candidato a vice-prefeito na chapa de Cida Oliveira, Diomésio Oliveira, também teve pedido de impugnação feito pelo promotor acatado pelo Juíz. Diomésio também está na lista do TCE por problemas quando geriu o município. Também houve negativa de registro dos candidatos a vereador do PSD, Zé Nogueira e Pedro Isidório, o Tota. 
Em todos os casos, a negativa do registro se deu em primeira instância. Eles tem a opção de recorrer ao TRE para buscar alterar a decisão. Caso mantida no colegiado estadual, resta como última alternativa o TSE - Tribunal Superior Eleitoral. ( Nill Júnior)
 


Nenhum comentário: